Eu descobri o Mundial 2010

Acabo de me sentar em frente ao computador mas não há pensamento algum na ponta dos meus dedos porque na cabeça martela um dilema enorme. Como descrever o que vivi na primeira noite em Port Elizabeth, na província do Cabo Leste? Como falar desta “mindblowing experience” (os Clã têm toda a razão, a língua inglesa fica sempre bem) sem cair no ridículo?

Numa obscura tasca de Port Elizabeth, os deuses enlouqueceram-me. Um jantar “braai” – um típico jantar xhosa (lê-se koza) – na Jeya’s Jazz Corner Tavern, transformou-se numa revelação. Foi nessa taverna de New Brighton Township que descobri o verdadeiro Mundial 2010.

Há cinco dias, aterrei na África do Sul com uma mala cheia de roupas e objectivos, disposto a andar muito e a dormir pouco. Queria visitar o maior número de locais, falar com o maior número de pessoas, e depois retransmitir, noticiar, reportar, sem nunca abdicar da santa objectividade. Se era isso que esperavam deste texto, parem já por aqui. Porque, desta vez, mandei a objectividade às malvas. Doutro modo, não vos poderia avisar que andamos todos enganados.

Em três penadas, doze miúdos mais as suas danças xhoza deram cabo de todas as minhas certezas. Mostraram-me que o Mundial de futebol não se faz de futebol. Nem de estatísticas, de estádios, de vuvuzelas e afins. Fizeram-me pensar que deveria chegar aqui ao quarto de hotel, pegar no computador, ligar-me à net e abrir uma petição online para exigir aos todo-poderosos do futebol que, a partir de agora, todos os Mundiais sejam em África.

Esses miúdos (que dão pelo nome de Mojo Entertainment), com as suas danças, revelaram-me que eu vinha à procura das coisas erradas. Num Mundial, o futebol é apenas uma desculpa, “a bad excuse”. Poderia tentar explicar-vos com vídeos e fotografias. Mas, aí sim, cairia no ridículo. Seria tentar descrever, com zeros e uns, uma vivência que uns têm a sorte de encontrar e outros o azar de prescindir.

Procurem a dança africana, procurem os Mojo Entertainment. Façam um favor a vós próprios, à vossa família, ao mundo. E estou certo que ficarão assim como eu, um pouco mais ridículos. Mais humanos. Como o futebol deveria ser. Como vai ser este Mundial.

Nota: texto originalmente publicado às 9h39

Anúncios

4 Responses to “Eu descobri o Mundial 2010”


  1. 1 Luís Julho 23, 2009 às 11:21 am

    Fantástico texto. Pleno de emoção…
    Onde está a petição? Eu assino… 🙂

  2. 2 António Mateus Julho 23, 2009 às 5:34 pm

    Olá Victor
    Bom ler a tua “prosa” sobre um país que aprendi a admirar e a amar nos 10 anos em que estive aí destacado como jornalista.
    Sempre tentei remar contra a visão distorcida e destrutiva que os média vão somando da África do Sul no imaginário de quem não conhece esse país.
    Pela aberração editorial de supostamente factos positivos não serem notícia vamos coleccionando uma imagem tunelar do Mundo à nossa volta resumida a incidentes de violência, desgraças e as mais diversas calamidades.
    Por isso as pessoas se vão “espantar” com o sucesso que vai ser o Mundial de 2010 e com as imagens deslumbrantes desse país que os tempos de antena do Mundial vão “infiltrar” nas televisões de todo o Mundo.
    Valha-nos isso…porque depois, reza a experiência, voltará a amnésia colectiva e os lugares-comuns. África é uma latrina em colapso, não é verdade? E se tu agora estás aí e vês e escreves outra realidade é certamente porque te “deram a volta”. Aproveita bem esse perfume!
    Abraço
    António Mateus
    RTP

  3. 3 Domingos Santos Julho 27, 2009 às 8:19 pm

    Olá Victor

    Ao ler o teu artigo não me surpreendeu que tenhas vindo de lá “anestisiado” com a beleza, simpatia e organizaçõa daquele país pertencente ao continente que apregoam de 3º mundo . No final de 2005 estive aí durante 1 mês e percorri 9000 km de carro e posso dizer-te que fiquei tambem maravilhado com a simpatia e hospitalidade daquele povo, mesmo em zonas mais pobres onde os gestos de respeito pelos outros se repetem a cada km que passa e nós perdemos com o evoluir deste mundo ocidental selvagem, do salve-se quem puder. Tambem estive em Port Elizabeth e aconselho a todos, a visitar a o Parque Natural Kruguer, Cidade do Cabo (Montanha da Mesa) e arredores, Tsitsikamma, Suncity,Shakaland (www.shakaland.com) e outros locais lindos. Trata-se de um país em desenvolvimento acelarado e que como todos os países tem problemas de segurança, só temos é que evitar certas zonas (tal como em Portugal temos que evitar certos bairros nas grandes cidades). Em fim eu também vim anestesiado daquele país. Vale a pena visitar Africa do Sul.

    Domingos Santos
    Faro


  1. 1 Volta ao Soweto em bicicleta « Vuvuzela Trackback em Julho 26, 2009 às 7:01 pm

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




Blogue

subscrever RSS A Vuvuzela é uma corneta, que servia para convocar pessoas, e que é muito popular nos estádios de futebol da África do Sul.

Inquérito

Subscrever newsletter Clique aqui ou no envelope se prefere receber os textos na sua caixa e correio.

RSS Última hora: PÚBLICO Desporto

  • Ocorreu um erro; é provável que o feed esteja indisponível. Tente novamente mais tarde.

RSS Mundial 2010 @ FIFA.com

  • A World Cup dream for Nagbe Agosto 17, 2017
  • Golden boy Stabile makes his mark Agosto 17, 2017
  • Williams: Soca Warriors ready to bounce back Agosto 15, 2017
  • Scots' free-kick hero eyes another miracle Agosto 15, 2017
  • Prolific Kubo shapes as Japan’s bright new star Agosto 15, 2017

Infografia

Infografia
Onde ficam os estádios do Mundial 2010 e por onde andou o PÚBLICO. Clique aqui

Twitter

Contas no twitter

@vuvuzela2010

@vferreira


%d bloggers like this: